Caso real: Casamento cinza e amarelo | Gisela e Igor

sábado, dezembro 05, 2015


Personalidade e atitude são as palavras que definem o casamento dessa semana. Só tendo uma personalidade forte, sem medo de ousar, para usar um all star amarelo no grande dia, quebrando todos os protocolos e, muita atitude para bater no peito e se doar em todos os detalhes da festa: da decoração ao bolo. O resultado foi ma-ra-vi-lho-so.

Agora, vamos conhecer o nosso casal de hoje, né? Gisela nasceu em Campina Grande e conheceu Igor (De Caruaru, mas residente em Santa Cruz do Capibaribe) na faculdade aqui em CG, cursavam administração juntos. Começaram a se aproximar, veio uma admiração pelo esforço que Igor fazia para ir a universidade (ele viajava todos os dias) e, depois, começaram a perceber as semelhanças em seus gostos, por comida, estilo e principalmente por festas. Viraram amigos e não se soltaram mais, a afinidade só aumentava. E assim foi:

2005 - Foram ao show de Eliane, conhecida como a Rainha do Forró,  e iniciaram sua história;
2012 - Noivaram no meio de outra festa
2013 - Gisela mudou-se para Santa Cruz e fundou a Merengue Bolos;
2015 - Resolveram se casar no dia 20 de Setembro na Paroquia de São Joaquim do Monte – PE , onde o tio do noivo é padre e, em 26 de Setembro, a bênção e a festa no Chez Vouz.


Gisela e Igor completaram 10 anos de namoro em maio (2015), mas como decidiram se casar em Janeiro e estava muito próximo, decidiram adiar para setembro. Gisela contou um pouco de como foi planejar tudo: "Foi muito rápido, mas já sabíamos de alguns fornecedores que não abriríamos mão. Queríamos a tarde, pois queria meu vestido curto, não faço o estilo “noivinha”(véu e grinalda) e que os convidados fossem confortáveis. O mais difícil foi a escolha dos convidados, na Chez Vouz cabem 200 pessoas confortáveis e não queríamos passar disso", disse.

Quando perguntei qual foi o maior desafio que eles enfrentaram, Gisela me respondeu, com toda a certeza, que foi a decoração e o bolo. "Fiquei de fazer os ventiladores de papel e pompons, ainda bem achei os pompons em Recife, no cais de Santa Rita. Mas, os ventiladores fizemos todos, e lágrimas de alegria e o bolo. Acabei me atrasando, pois peguei encomendas das minhas clientes, foi uma loucura."

E, se tinha uma coisa que eles não podiam abrir mão, era do Patusco. A noiva explicou que "nesses dez anos de convívio, 8 foram indo para Olinda no Carnaval. Não queríamos abrir mão de ter Patusco, nem que casássemos debaixo da ponte."

A celebração não podia ser mais especial: aconteceu na Paróquia de São Joaquim do Monte – PE , onde o tio do Igor é padre. Foi uma cerimônia bem íntima, sem fotógrafos, nem filmagem e uma semana antes da festa. "Fizemos questão que ele fizesse nosso casamento, foi pura emoção, nunca tinha visto Padre chorar, mas dessa vez nem ele se segurou." E, no dia 26 de Setembro, o Padre fez uma bênção no salão da Chez Vouz.


❌❌❌❌

Cerimônia: Paróquia de São Joaquim (PE) • Recepção e Buffet: Chez Vouz • Cerimonial: De Pontes Cerimonial • Decoração: Gilson Matias • Fotografia: Studio Jr (PE) • Filmagem: Bastidores Filmes (PE) • Iluminação: Andaluz • Bolo/topo de bolo/brownie: Merengue Bolos (PE) • Convite e Papelaria: Noivo • Música: Orquestra Andaluz e Patusco • Cabelo e Maquiagem: Ticiane Soares • Roupa do Noivo: Loja Brooksfield • Roupa da noiva: Costureira da família • Sandália da noiva: Dona Rosa (PE)

You Might Also Like

0 Comentários